1-728x90_rbs

As mudanças no ranking de março

– Onix permanece líder absolutoonix_joy_2

Se as três primeiras posições no ranking permanecem as mesmas, no restante da tabela há muitas mudanças no balanço de venda por modelo no mês de março.

O Onix repete o primeiro lugar e o HB20 em segundo. Os dois são os únicos que continuam vendendo mais do que dez mil unidades por mês: 14.745 para o carro da GM e 10.638 para o da Hyundai. O Ka mantém uma sólida terceira posição, com 8.022 unidades, 1,5 mil a mais do que o Sandero, que aparece na quarta posição no mês.

Hyundai HB20 R spec 06

Na faixa de seis mil unidades aparacem o Gol em quinto e o Prisma em sexto. O Corolla vendeu 5.458, na sétima posição, e a picape Strada ficou com 4.571. Voyage e Toro completam a lista dos dez carros mais vendidos em março.

Além da picape Toro em décimo, a FCA colocou o Compass em 13º lugar, mas o Renegade, que chegou a figurar entre os dez primeiros, caiu para 17º colocado (3.509 unidades no mês).

Ford_ Ka Trail_2018_frentlat_

Saveiro (26º) e HB20 (27º) também perderam posições no mês, enquanto Etios se mantém bem posicionado (4.055 unidades) e o Creta ficou em 19º.

Ranking por modelo
Março/2017

Class. Marca Unidades
 GM Onix 14.745
 Hyundai HB20 10.638
 Ford Ka 8.022
 Renault Sandero 6.516
 Volkswagen Gol 6.311
 GM Prisma 5.706
 Toyota Corolla 5.458
 Fiat Strada 4.571
 Volkswagen Voyage 4.446
10º  Fiat Toro 4.400
11º  Honda HR-V 4.318
12º  Toyota Etios Hatch 4.055
13º  Jeep Compass 3.986
14º  Volkswagen Fox 3.943
15º  Fiat Mobi 3.902
16º  Volkswagen Saveiro 3.592
17º  Jeep Renegade 3.509
18º  Nissan Kicks 3.501
19º  Hyundai Creta 3.487
20º  Volkswagen Up 3.383
21º  Fiat Uno 3.367
22º  Honda Civic 2.981
23º  Toyota Etios Sedã 2.971
24º  Fiat Palio 2.835
25º  Toyota Hilux 2.827
26º  Ford Ka Sedã 2.740
27º  Hyundai HB20s 2.692
28º  Fiat Siena 2.631
29º  Honda Fit 2.434
30º  Ford Ecosport 2.218
31º  GM Cobalt 2.139
32º  Renault Duster 2.090
33º  GM Spin 2.052
34º  GM S10 2.034
35º  Nissan March 2.034
36º  Nissan Versa 1.903
37º  Renault Logan 1.892
38º  Ford Fiesta Hatch 1.653
39º  GM Cruze Sedã 1.645
40º  GM Montana 1.494
41º  Honda City 1.418
42º  Toyota SW4 1.089
43º  Renault Oroch 1.056
44º  Ford Ranger 993
45º  Peugeot 208 969
46º  Peugeot 2008 848
47º  Citroën C3 817
48º  Mitsubishi L200 803
49º  Hyundai Ix35 773
50º  Fiat Fiorino 746
51º  Nissan Sentra 746
52º  Honda WR-V 692
53º  Renault Captur 691
54º  Volkswagen Amarok 646
55º  Citroën Aircross 620
56º  Fiat Doblo 567
57º  Renault Master 562
58º  GM Cruze Hatch 511
59º  Nissan Frontier 487
60º  Volkswagen Golf 483
61º  GM Tracker 470
62º  Audi Q3 467
63º  Ford Focus Sedã 463
64º  Mitsubishi Outlander 430
65º  Volkswagen Jetta 423
66º  Mercedes-Benz GLA 416
67º  Ford Focus Hatch 403
68º  Hyundai HR 397
69º  Citroën C4 Sedã 362
70º  Hyundai Tucson 353
71º  Kia Sportage 352
72º  Mitsubishi ASX 341
73º  BMW X1 332
74º  Ford Fusion 297
75º  Mercedes-Benz Classe C 289
76º  Fiat Punto 276
77º  Land Rover Discovery 276
78º  Audi A3 Sedã 237
79º  BMW Série 3 234
80º  Fiat Palio Weekend 232

7 comments

  1. junior Reply

    a população deveria se revoltar e parar de comprar carros 0km por um ano, no minimo.
    estão explorando a população.
    qualquer carro 1.0 por 50 mil reais…

    1. Ari Reply

      Junior, qualquer carro 1.0 é vendido por R$40.000, não por R$50.000. Qualquer carro 1.0 custa R$25.000 e não 40 ou 50.000. A diferença são os impostos.

  2. fraderico Reply

    Golf 483, Jetta 423. Carros diferentes mas um mesmo resultado: vendas pífias. Finalmente o brasileiro está entendendo o que é um VW…

  3. MARCO PACHECO Reply

    Eu queria entender qual a razão da Mercedes ter uma fábrica em solo brasileiro para vender 289 modelos classe C ao mês.

    1. Julian Reply

      A fabrica da Mercedes em Iracemápolis também monta o GLA, que vendeu 416 em março.

    2. eduardo Reply

      Não é uma fábrica de verdade, apenas montas as peças vindas do exterior.
      Para se beneficiar de inúmeros incentivos fiscais que os “fabricantes” possuem.

      1. MARCO PACHECO Reply

        Imagino que existem incentivos fiscais para se “fabricar” no Brasil entretanto, o resultado foi que, após ser fabricado no país, o preço desses veiculos subiram mais de 15% em relação ao preço praticado quando eram importados. Além disso, o número de empregados nessa fábrica não chega a 250. Quem se beneficiou com essa encenação?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Todo o conteúdo deste site é propriedade da Autoinforme - Agências de Informação do Automóvel S/C LTDA
É proibida a reprodução, cópia, republicação, redistribuição e armazenamento por qualquer meio.
Para obter autorização da reprodução do conteúdo LIGUE para (11) 5535-6294 | Email:autoinforme@autoinforme.com.br