Gestante ao volante: mais atenção, mas sem restrições

gestante
O Código de Trânsito Brasileiro não faz nenhuma restrição à mulher grávida dirigir.

Mas não custa tomar alguns cuidados e inclusive uma consulta ao médico para avaliar se não há alguma restrição. EM casos de desconforto ou complicações na gravidez, a mulher deve evitar dirigir.

O Cesvi – Centro de Experimentação e Segurança Viária, dá algumas recomendações à mulher grávida ao volante.

A grávida muitas vezes fica em dúvida se deve usar o cinto: deve sim, ainda que fique um pouco desconfortável.E se estiver no assento traseiro, deve usar o cinto de três pontos, evitando o do tipo abdominal, que normalmente equipa o assento do meio.

O encosto de cabeça é um item importante para a segurança em caso de impacto traseiro: ela evita o efeito-chicote, que joga a cabeça da motorista pra frente e pra trás.
Muita atenção pra isso: o centro do encosto deve estar alinhado com a linha dos olhos do motorista.

E, claro, considerando as eventuais restrições de movimento, a gestante deve optar por carro com mais equipamentos de conforto, recursos que diminuem os esforços dentro do carro, como troca de marcha automática, vidros elétricos, regulagem elétrica dos retrovisores, direção hidráulica.

Mas lembre-se: gravidez não é doença. A mulher deve ficar mais atenta ao dirigir, mas nada de restrições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Todo o conteúdo deste site é propriedade da Autoinforme - Agências de Informação do Automóvel S/C LTDA
É proibida a reprodução, cópia, republicação, redistribuição e armazenamento por qualquer meio.
Para obter autorização da reprodução do conteúdo LIGUE para (11) 5535-6294 | Email:autoinforme@autoinforme.com.br