O “carro a sol” da FCA

Argosolar
Placas fotovoltaicas instaladas no teto contribuem para redução do consumo

Para a empresa, inovar não é apenas criar tecnologias, mas pensar diferente

O teto é a maior e mais plana parte do carro. Diferentemente das laterais (com as portas) da traseira (porta-malas) e da dianteira (capô e motor), não sofre interferências. E está o tempo todo recebendo a luz solar. Porque não utilizar essa aptidão para captar a energia do sol?

A proposta saiu da área de inovação da fábrica da Fiat em Betim há três anos e já está dando resultados positivos. A montadora instalou placas com células fotovoltaicas no teto de 30 car5ros, que inicialmente rodaram somente no interior da fábrica e numa segunda etapa nas ruas. Trata-se, ainda, de uma experiência, mas com a queda dos preços das painéis de captação da energia solar, é possível que o sistema seja adotado comercialmente.

Não, a energia captada pelos paineis não vai substituir o combustível usado para a propulsão do motor. Não se trata de um carro elétrico, longe disso. O objetivo da tecnologia é a economia do consumo e das emissões de poluentes: a energia captada é usada nas luzes do painel e faróis, vidros elétricos, ar-condicionado.

Nos testes feitos até agora foi obtida uma economia de 3,5% no consumo, um índice bastante significativo, quase o dobro do obtido por processo semelhante na Europa, onde a economia foi de 2%. Isso graças não ao sistema em si, mas ao maior nível de radiação solar existente no Brasil. O País tem um potencial solar 70% maior. Aqui são 205 Watts por metros quadrado; na Europa são 120 W/m2. No sol de meio dia no verão, o potencial no Brasil sobe para 1.100 W/m2.

Matheus Bitarães é analista de Pesquisa e Inovação da FCA e faz parte do time de pesquisadores do projeto Girassol, que testa as placas fotovoltaicas nos tetos dos carros.

“Inovação é enxergar as coisas de uma forma diferente; fazer o diferente”, diz Bitarães, responsável pelo desenvolvimento de ideias que surgem na própria empresa e que contribui para o melhor procedimento na linha de montagem, no processo produtivo, na manutenção da fábrica.

Mateus Silveira, responsável pelo Future Insights, diz que “pensar diferente” é uma forma de buscar soluções para a produção e o uso do carro. Destacou que inovação não é apenas um novo sistema de condução, de conectividade ou de segurança, mas inovar é também o modo de pensar e de agir.

“Inovar não é apenas criar uma tecnologia, mas entender e melhorar a vida do consumidor, como uma ação junto ao mercado, como a garantia do preço do carro e da entrega na data marcada.

Silveira estuda o futuro das populações urbanas. Selecionou as 38 cidades brasileiras com mais de 500 mil habitantes e se
debruça na resolução dos problemas de mobilidade, advindos do adensamento populacional. Busca alternativas para novas formas de circulação, novos modais. E aí entra a questão de pensar diferente e não apenas a aposta nas novas tecnologias:

“O carro elétrico e o carro autônomo são as tecnologias do momento, e que já estão nas ruas, mas o problema é que tanto o elétrico quanto o autônomo provocam congestionamento do mesmo jeito”, disse, avaliando que é preciso pensar em soluções que essas novidades não se propõem a sanar.

Para Mateus Silveira, os sistemas de inovação têm que ser diversificado: “Não basta criar um veículo ideal; temos que pensar no pedestre, Todos nós somos pedestres pelo menos uma parte do dia. O espaço de maior valor é o espaço público”

Têm que oferecer alternativas próprias: “Não dá pra importar soluções. Temos que criar nossos próprios modelos”

Numa palavra, a proposta é buscar soluções dentro do âmbito das cidades e não achar que o aumento da infra estrutura vai resolver os problemas. Ao contrário, quando o poder público abre mais uma avenida, mais um túnel, mais um viaduto, incentiva o uso do carro e a consequência não é a redução dos congestionamentos, mas a ampliação deles.

“Ampliar a infra estrutura é como resolver o problema da obesidade afrouxando o cinto”, diz Mateus Silveira.

1 comment

  1. Maria Mazzarello Reply

    Parabéns aos jovens pesquisadores que que utilizam seus conhecimentos em projetos tão inovadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Todo o conteúdo deste site é propriedade da Autoinforme - Agências de Informação do Automóvel S/C LTDA
É proibida a reprodução, cópia, republicação, redistribuição e armazenamento por qualquer meio.
Para obter autorização da reprodução do conteúdo LIGUE para (11) 5535-6294 | Email:autoinforme@autoinforme.com.br