Stellantis agradece ao governo, mas diz que o carro não vai fiar mais barato porque “é preciso recuperar o lucro”

Antônio Filosa

Elogiando a decisão do governo de reduzir o IPI para veículos automotores, o presidente da Stellantis, Antonio Filosa, disse que a carga tributária é o maior problema da indústria automobilística brasileira. O outro grande problema é a logística.

“Parabéns à equipe econômica pela redução do IPI, somos entusiastas dessa política, espero que seja a primeira medida de outras nesse sentido”, disse, lamentando que a indústria sofre também os excessivos aumentos de preços de matéria prima e com os problemas da inflação:

“A redução do IPI chegou num momento oportuno. O cobre custava um dólar por tonelada, hoje custa US$ 4 ,00. O preço do aço subiu 50% desde 2018”, disse.

Depois desse discurso, o dirigente respondeu que o preço do carro para o consumidor não vai cair como consequência da redução do IPI, porque a inflação vai eliminar a diferença de preço. Vai, sim, ajudar a recuperar o lucro. Em outras palavras: o carro vai deixar de ficar mais caro!

Numa palavra: quem pensou que a redução do imposto traria benefício ao consumidor, se enganou. Ela vai servir para engordar o caixa das montadoras.

Sobre o segundo maior problema da indústria automobilística no Brasil (a logística), segundo Filosa, é importante salientar que a causadora do problema é a própria indústria automobilística, pois, como ele mesmo disse…

“…transportamos carros e peças por esse país por estradas; usamos somente o modal rodoviário”