No semestre, crescimento é de 23%; expectativa é que seja o melhor ano desde 2014

Os fabricantes de motocicletas estão esperançosos em relação ao crescimento da produção e vendas este ano. No balanço do semestre, anunciado nesta terça-feira (12/7/22), o presidente da Abraciclo, associação dos fabricantes, Marcos Fermanian, refez, para cima, a previsão para 2022, calculando em 1,320 milhão de unidades produzidas e 1,260 milhão de licenciamentos.

Esse resultado, se for obtido, seria um aumento importante, 10,5% a mais de produção e 9% a mais de vendas no mercado interno. O resultado de vendas seria o melhor desde 2014, quando foram vendidas 1.517.700 motocicletas.

Para Marcos Fermanian, no entanto, o resultado não poderia ser considerado crescimento, mas apenas uma retomada; seria o início de uma retomada rumo ao patamar de dois milhões de unidades, que o mercado brasileiro atingiu em 2011. Como se vê, embora o ambiente no setor seja de otimismo, o desempenho está muito distante do que o mercado de duas rodas já representou no Brasil.

No acumulado do semestre houve crescimento de 23%, com 636,5 mil motos comercializadas: foram 517,5 mil nos seis primeiros meses do ano passado. Em comparação do ano fatídico da pandemia, 2020, o mercado mais do que dobrou. O crescimento sobre aquele ano (quando foram vendidas apenas 350 mil unidades) foi de 119%.