Na hora de comprar um carro, o consumidor não deve pensar apenas no investimento que está fazendo naquele momento, mas também no valor de revenda, quando ele for realizar a troca. Afinal, o investimento não é algo banal, o carro é o maior bem do consumidor depois da casa própria. Um carro pequeno custa hoje em torno de R$ 50 mil e um modelo um pouco acima chega aos R$ 100 mil.

Por isso o consumidor investe pensando em perder o mínimo possível na hora da revenda. Para isso leva em conta a confiança na marca, a imagem do carro, a procura pelo modelo no mercado de usados, os equipamentos que mais atraem a atenção do comprador etc.

Para o gestor e conselheiro de estratégias Valdner Papa, especializado no mercado de veículos, o que determina o valor do carro é a história dele, a sua trajetória desde a hora que começa a ser produzido até o momento que encerra o ciclo de vida útil. A montadora é responsável por agregar aspectos importantes como qualidade, segurança, tecnologia, conforto e boa aparência.

Outro ponto importante, segundo Papa, é o custo de manutenção. “Um carro com baixo custo de reparação terá mais chances de ser valorizado na hora da revenda, fazendo com que o motorista não perca grande parte do dinheiro que investiu”, explicou.
Ele destaca também o design como uma das coisas que os consumidores mais levam em conta, lembrando que a identidade visual de um carro ou de uma marca influencia muito na valorização.

“Este movimento é observado, por exemplo, nas marcas luxuosas. Os carros não costumam ter mudanças visuais muito bruscas entre um modelo e outro para manter a identidade visual. As grandes mudanças acontecem mesmo quando há mudança de geração”, disse Papa.
De fato, as mudanças bruscas de linha, quando um carro surge como uma nova geração, refletem diretamente no preço do usado, como observa Luiz Cipolli Junior, coordenador de Pesquisa da Autoinforme e responsável pelo Estudo de Depreciação de Veículos, através do qual são definidos anualmente os ganhadores do Selo Maior Valor de Revenda. O Estudo é feito há vinte anos e nos últimos sete os ganhadores recebem a Certificação: veja a lista dos ganhadores.

Valdner Papa aponta também a liquidez do produto como fundamental para a obtenção de um bom valor na hora da revenda.
“Na hora da venda, na concessionária, os veículos se destacam quando têm uma boa liquidez, alto giro de estoque e, no caso dos usados, os carros que têm menor custo de manutenção são os preferidos, já que é necessário fazer uma revisão e manutenção antes de entregar para o consumidor”, esclareceu.

Mas o dono do carro também pode zelar para que possa obter uma boa oferta na hora da revenda. “O consumidor pode fazer a sua parte, tomando os cuidados necessários para que o carro tenha uma boa trajetória e chegue às mãos do próximo motorista com poucas avarias.”
Cuidar da aparência, fazer uma revisão e os devidos reparos, verificar os pneus, lâmpadas e cuidar especialmente da higiene interna faz com que o carro seja valorizado na hora de vender – explicou o consultor.

O Selo Maior Valor de Revenda Autos 2020 será entregue nesta quarta-feira (28/10/20) às 11h00, em apresentação on line que será feita na sede da BSS Blindagens, na Avenida Europa. Para assistir a entrega das certificações, acesse no link https://bit.ly/2TmJSuH .